Gartner apresenta quatro maneiras para ajudar equipes de TI a pensarem estrategicamente

Em tempos de transformação digital, líderes de TI voltados à I&O deveriam tomar decisões incisivas a partir da evolução dos negócios digitais para expandir suas infraestruturas



Em 1950, 30% da população mundial vivia em cidades. Hoje, esse número é de 55% e deve crescer para 68% até 2050, segundo as Nações Unidas. O Gartner, Inc., líder mundial em pesquisa e aconselhamento para empresas, alerta que embora o crescimento das megacidades tenha efeitos de longo prazo em todos os aspectos dos negócios, isso requer que as áreas de Infraestrutura e Operações (I&O) de TI adotem uma nova mentalidade de “infraestrutura em todos os lugares” e continuem ágeis para lidar com uma enorme variedade de demandas futuras,
"Ao tomar decisões relacionadas à infraestrutura, os líderes de I&O estão começando a colocar uma ênfase maior na análise de todas as forças externas que impactam os negócios ao lado da própria tecnologia", afirma Jonathan Forest, Diretor e Analista Sênior do Gartner. “Aproveitar o pensamento estratégico ao tomar decisões de TI nem sempre foi o caso”.
Por exemplo, até há pouco tempo, a maior parte das discussões sobre a localização de um novo Data Center estava concentrada exclusivamente na própria tecnologia. Hoje, essa discussão envolve um exame mais profundo, não apenas da tecnologia, mas também de outras forças externas que podem impactar os negócios – e até mesmo a sua posição na indústria. É imperativo alinhar a estratégia com as necessidades e exigências.

Repense a maneira como você trabalha – Segundo pesquisa do Gartner, os líderes de I&O identificam três principais ameaças: gerenciamento de adversidades tecnológicas, habilidades/recursos escassos e capacidade insuficiente para absorver mais mudanças. Para sobreviver às novas demandas que o crescimento das infraestruturas exerce sobre suas equipes, os líderes de I&O deveriam melhorar as competências de pensamento estratégico em seus times.
Atualmente, os líderes de I&O lutam para facilitar o pensamento estratégico como parte do comportamento cotidiano. Eles precisarão banir o pensamento segmentado e enfatizar as interrelações para responder às forças que estão mudando e impactando a tecnologia.

As quatro abordagens para pensar estrategicamente - As quatro abordagens a seguir ajudarão as áreas de I&O a se tornarem mais conscientes sobre o cenário geral o processo de tomada de decisões, aprimorando as operações de TI e melhorando os resultados.

1.                  Adote a ambiguidade e a incerteza como estratégia: As equipes de I&O se destacam na abordagem de problemas táticos estruturados, mas o pensamento estratégico é um desafio devido à ambiguidade em torno das metas e dos possíveis resultados. Assim, treine as equipes de I&O para reconhecer e aplicar técnicas não-estruturadas na resolução de problemas. Isso ajudará a obter resultados quando não houver um problema claramente definido ou uma solução facilmente identificável.

2.                  Crie um plano de I&O alinhado aos negócios: Os planos de I&O são difíceis de implementar porque, muitas vezes, as metas de negócios não são claras ou o planejamento é considerado muito complexo. Logo, é preciso criar um plano de negócios para I&O usando uma abordagem vertical alinhada aos objetivos da empresa. O plano orientará a equipe a determinar se uma mudança incremental ou transformacional é o caminho correto.

3.                  Aprimore as decisões de investimento: Comunicar os direcionadores de negócio por trás de um investimento em tecnologia é vital, embora seja desafiador para as equipes de I&O que se concentram apenas em TI e não em questões financeiras. Pedir à equipe para responder perguntas vitais relacionadas a alinhamentos, riscos, tempo necessário e probabilidades de sucesso é fundamental antes de considerar um investimento.

4.                  Alinhe-se e esteja engajado com as partes interessadas: Grande parte da estratégia de I&O é direcionada por práticas comuns da indústria ou pelo desejo de adotar tecnologias específicas de fornecedores. Essas são abordagens compreensíveis, mas podem levar ao desalinhamento das metas de negócios com as estruturas de TI, o que não é estratégico. É indicado concentrar-se em resultados e objetivos conjuntos com as partes interessadas para evitar esse desalinhamento entre a estratégia de negócios e os objetivos de TI.

Pesquisas adicionais sobre o tema serão apresentadas durante a Conferência Gartner Infraestrutura de TI, Operações & Estratégias de Cloud, que acontece nos dias 14 e 15 de abril, em São Paulo. No evento, analistas brasileiros e internacionais vão apresentar conexões vitais entre tecnologias, gestão e cultura com um foco especial na liderança de cada função de Infraestrutura e Operações (I&O). Participantes poderão interagir com mais de 1.000 profissionais, visionários e líderes de TI.
Até 13 de março, as inscrições para a Conferência Gartner Infraestrutura de TI, Operações & Estratégias de Cloud estão com desconto de R$ 575,00. Há preços diferenciados para profissionais do setor público e descontos para grupos. Interessados devem contatar o Gartner pelo e-mail conferencias.brasil@gartner.com, pelos telefones (11) 5632-5968 e 0800 006 3028, ou pelo site https://www.gartner.com/pt-br/conferences/la/infrastructure-operations-cloud-brazil.

Entradas populares de este blog

Por cuarto año consecutivo BMC se posiciona como líder en el Cuadrante Mágico de Gartner en Gestión de Servicios de TI

#SMDayBA | El 31 de julio llega una nueva edición de Social Media Day Buenos Aires

BairesDev se alza por cuarto año consecutivo como la compañía de desarrollo de software de mayor crecimiento de toda América Latina