Evolução do Cloud, Edge Computing já é uma realidade


Imagine um consumidor que se programa o ano inteiro para comprar uma nova TV durante a Black Friday. Mesmo com uma boa Internet, na hora selecionar o modelo ideal, o sistema fica lento, ele tenta uma, duas vezes e desiste da compra. Já pensou o prejuízo que essa situação pode causar ao e-commerce? Para evitar perdas como essa, garantindo que os acessos de usuários sejam mais rápidos, seguros e confiáveis, a plataforma de Edge Computing da Azion garante que as requisições sejam processadas na ponta, mais próximas ao usuário ou device, com o mínimo de latência.

Num mundo cada vez mais conectado e que vive uma explosão de projetos de Internet das Coisas (IoT),Edge AI,  VR/AR e 5G, os devices geram volumes cada vez maiores de dados, que necessitarão do Edge Computing para processá-los em tempo real – de aplicações web, como um e-commerce ou banco on-line, a áudio, vídeo e qualquer outro tipo de dado gerado ou enviado para usuários e equipamentos. O Edge Computing se torna, portanto, a solução ideal para suportar esse grande volume de processamento gerado pelos devices. 

Neste cenário, o número de aplicações de borda (ou Edge Applications) deve se expandir exponencialmente para atender as demandas de vários segmentos. Na indústria, os dados podem auxiliar a evitar falhas, atuar preventivamente e reduzir o consumo de energia. No segmento de saúde, os wearables poderão ser adquiridos com maior facilidade e garantir que as informações dos pacientes sejam compartilhadas com os médicos a tempo de evitar incidentes e salvar vidas.

Segundo o Gartner, 50% das aplicações serão em Edge Computing até 2022. “Na prática, significa montar uma infraestrutura distribuída para rodar aplicações mais próximas de seus usuários ou devices, gerando uma série de benefícios, como maior  performance, segurança e confiabilidade no acesso, evitando problemas como o vivenciado pelo consumidor que tentou comprar a TV na Black Friday, sem sucesso”, explica Rafael Umann, CEO da Azion Technologies. 

A plataforma de Edge Computing da Azion se baseia no conceito serverless. Isso significa que suas equipes gastarão menos tempo gerenciando a infraestrutura e mais tempo desenvolvendo e fornecendo aplicações, o que pode reduzir custos em até 90%, dependendo do projeto. Atualmente, osprincipais players do Brasil em e-commerce já utilizam a plataforma de Edge Computing da Azion. Além deles, grandes  bancos, empresas de educação e mídia também aproveitam das vantagens da plataforma. O fato de trazer a informação para a borda contribui para a construção de experiências personalizadas. “A tecnologia, por meio de algoritmos, é capaz de detectar o usuário e direcioná-lo para o Edge ideal naquele momento, proporcionando uma melhor experiência ao cliente, com mais agilidade e eficiência nas operações”, destaca. 

Ainda de acordo com o Gartner, metade das grandes empresas deve implementar projetos com Edge Computing até 2020. “Embora algumas companhias pensem nesta tecnologia apenas no futuro, podemos afirmar que há uma série de empresas colhendo, hoje, ótimos resultados. Vários especialistas acreditam que o Edge Computing pavimentará as principais inovações tecnológicas do futuro. Trata-se de uma disrupção em como as aplicações são construídas e escalam para qualquer número de usuários, mas com uma inteligência que permite adaptações suaves para que as empresas se beneficiem desde o primeiro dia de uso. É considerado uma das principais tendências nos próximos anos”, complementa Rafael.

A plataforma Azion soluciona os mais complexos desafios de computação e rede, incluindo escalabilidade, confiabilidade, desempenho e segurança, sendo ideal para arquiteturas web de missão crítica inovadoras para e-commerce, games, finanças, mídia e aplicações como IoT, realidade aumentada (AR) e realidade virtual (VR).



Entradas populares de este blog

El nuevo rol del padre y la tecnología como aliada

Liderazgo joven: en el ámbito del trabajo, los 30 son los nuevos 50