Abertura do Futurecom reúne ministros de Estado e autoridades internacionais

Empresas apresentaram seus destaques e novidades no campo da tecnologia e das telecomunicações

Na noite desta segunda-feira, aconteceu em São Paulo a cerimônia de abertura da 20ª edição do Futurecom, que contou com a participação de Gilberto Kassab, ministro da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC), e Marcos Jorge de Lima, ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC). Além dos ministros, a cerimônia também contou com a participação de Juarez Quadros, presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel); Luiz Augusto de Souza Ferreira (Guto Ferreira), presidente Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), entre outras autoridades.

O ministro Gilberto Kassab comentou que o momento do país é extremamente favorável para as telecomunicações. Kassab destacou que a Internet das Coisas (IoT) chega ao Brasil ao mesmo tempo que chega em vários países. Perguntado sobre a sucessão no comando da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), já que o atual presidente, Juarez Quadros, está em fim de mandato, Kassab revelou que indica Moisés Queiroz, deputado estadual pelo Rio de Janeiro. Porém, a indicação ainda passará pela avaliação do Congresso­­.

Quadros foi homenageado pelo Futurecom e, em sua palestra, comentou que a Anatel está empenhando esforços para incentivar a implantação da estrutura de rede necessária no Brasil para tornar o 5G uma realidade o mais rápido possível. “Fizemos a tomada de subsídios, que é o passo anterior à consulta pública, para que o processo avance”, afirma Quadros. Ele reforça que há a necessidade de que as políticas sofram uma revisão para destravar os investimentos das prestadoras de serviços. Por exemplo, a Lei Geral das Telecomunicações e o Fundo para Universalização dos Serviços de Telecomunicações. Ao citar o Plano Geral e o Plano Nacional de Conectividade e Internet das Coisas, Quadros faz um pedido ao próximo governo que assumir o comando do Brasil. “O futuro exige um alto investimento para que as necessidades da sociedade sejam atendidas do ponto de vista da conectividade; portanto, o novo presidente deve dar muita atenção a isso.”

Entre os líderes internacionais estiveram presentes Gabriel Contreras, presidente do Instituto Federal de Telecomunicações (IFT) do México; Gabriel Lombide, presidente da Unidade Reguladora de Serviços de Comunicações (URSEC) do Uruguai; Jorge Mora, diretor e assessor presidencial no Ministério da Presidência da Costa Rica, e Gilbert Camacho, membro do Conselho da Superintendência de Telecomunicações (SUTEL) da Costa Rica.

Para Hermano Pinto, diretor de portfólio da Informa Exhibitions Brasil e responsável pelo Futurecom, a presença das autoridades ressalta a importância do evento para o setor de tecnologia e telecomunicações. “Iniciamos as discussões sobre as principais tecnologias e soluções que trarão benefícios para pessoas e empresas nos próximos anos em toda a América Latina. A participação de líderes de outros países permite compartilhar e colaborar no desenvolvimento de ações conjuntas que promovam efeitos positivos nos negócios de todos os países envolvidos”, comenta.

Segundo dia de Futurecom
A evolução das tecnologias de TIC no Brasil nos últimos 20 anos
O Futurecom e a consultoria Teleco apresentaram estudo que mostra a evolução das tecnologias de TIC no Brasil nos últimos 20 anos e como essa história está diretamente ligada à trajetória do Futurecom, e aponta também temas que serão pauta no futuro, como 5G, IoT, Inteligência Artificial e Transformação Digital das Operadoras. “Todas as tecnologias que ganharam importância ao longo do tempo foram debatidas no Futurecom”, afirma Hermano Pinto Junior, explicando que fica difícil separar a história do setor da história do evento. O estudo detalha essa evolução e faz um paralelo com o evento.

No início de tudo, em 1998, ano da privatização da Telebrás, os temas principais estavam relacionados à telefonia fixa (sinalização), rádio ponto a ponto e à certificação de equipamentos. Nos cinco anos seguintes, cresceram em importância temas ligados à telefonia celular (3G), telefonia IP (VoIP, NGN), banda larga (fibra) e TV digital. Acompanhando a evolução do mercado, a partir de 2005, o debate sobre convergência de serviços e triple play se tornou um dos temas principais. Há 10 anos, em 2008, os temas que ganharam destaque durante o evento foram: 3G que estava chegando ao Brasil; a disputa entre Wimax e LTE como tecnologia para 4G; Comunicações Unificadas e NGN; TV Digital e IPTV, Satélite e Portabilidade. Já na última década, os grandes temas foram Banda Larga (Fixa e Móvel), IoT (Internet das Coisas), Big Data e, mais recentemente, os efeitos da Transformação Digital.

O estudo detalha a evolução destes temas, que foram debatidos nos painéis do Futurecom, nos últimos dez anos, com os vários tópicos em destaque. Essa evolução tecnológica se refletiu também em temas regulatórios, também discutidos ao longo dos últimos 20 anos. De acordo com Eduardo Tude, presidente da Teleco, o futuro também foi retratado pelo Futurecom em vários momentos. Por exemplo, o atual Presidente da Anatel, Juarez Quadros, que apresentará nessa edição da Futurecom uma palestra sobre os próximos 20 anos, já tratava do tema na edição de 1993. À época a palestra teve como tema “O Futuro do Sistema Telebrás em um ambiente de competitividade”.

Outras novidades
A Nokia anunciou em sua coletiva de imprensa ter sido escolhida pela distribuidora brasileira de energia elétrica Elektro, parte do grupo Neoenergia/Iberdrola, para implantar uma rede privada de banda larga sem fio LTE que aumente a confiabilidade e a eficiência da rede elétrica na cidade de Atibaia e arredores, em São Paulo. Com a presença de Osvaldo Di Campli, vice-presidente da Nokia para a América Latina e de Mario Ruiz-Tagle, presidente da Neoenergia, as empresas deram detalhes do projeto. Trata-se da primeira rede 4G LTE do Brasil, implantada na faixa de frequência de 3,5 Gigahertz (GHz), que conectará equipamentos de rede, medidores inteligentes, subestações e fontes de geração de energia distribuídos em toda a área de serviço, permitindo a automação da rede por meio da troca de informações em tempo real entre os dispositivos e o Centro de Operações da Elektro, em Campinas. Mais ainda, será possível identificar rapidamente a origem dos eventos na rede elétrica, para uma rápida restauração em caso de falha, até mesmo para evitar a ocorrência de interrupções, garantindo um serviço de alta qualidade para mais de 75 mil residências e empresas na região, clientes da Elektro.

Durante a Futurecom, a TIM está presente no estande “O Digital agora é Agro” falando de agricultura de precisão junto com a Nokia e a BRDigital. Juntamente com fornecedores do mercado agro – CHNi, Metos, Jacto, a operadora e as empresas de tecnologia exibem cases sobre como diferentes tecnologias, viabilizadas pela rede 4G da operadora, podem promover a digitalização de processos pela conectividade de dispositivos e máquinas em um dos setores mais importantes do país: o agronegócio. O estande, localizado no pavilhão de Internet das Coisas, conta com vários equipamentos de fornecedores tradicionais do Agronegócio, dentre eles um trator da CNHi, que servirá de exemplo para apresentar a aplicação real de soluções de IoT no campo brasileiro, além de outras soluções de agricultura de precisão das empresas Jacto e Metos. Durante o evento, será possível ver como funcionam os computadores de bordo das máquinas que registram e compartilham em tempo real informações necessárias para a melhoria dos processos de produção, como o tempo gasto por hectare, a quantidade de combustível utilizada no processo, entre outras informações. O espaço servirá para mostrar como o projeto “4G TIM no Campo” está mobilizando as empresas do ecossistema do Agro para tornar a agricultura que já é inteligente, em uma agricultura conectada e mais eficiente.

A Huawei está presente no espaço IoT Applications da com uma solução voltada à Agricultura Inteligente. Trata-se de um dispositivo que é fixado por uma coleira ao corpo das vacas, servindo para monitorar sua atividade no pasto e enviar as informações via rede celular para um servidor que armazena os dados de comportamento dos animais e que poderão ser acompanhados pelo gestor da fazenda.  Como resultado, pode-se saber de forma mais precisa quando, por exemplo, uma vaca entra no período fértil, pois sua atividade aumenta nessa época. Dessa forma, é mais fácil identificar o melhor momento para a inseminação artificial, ampliando as chances de sucesso do procedimento.

Saber o momento exato de realizar a inseminação ajuda a aumentar a probabilidade de nascer bezerro macho ou fêmea, dependendo da estratégia de negócios do criador. Essa é uma informação valiosa quando, por exemplo, a criação é dedicada a gado de corte ou a produção de leite. Na China essa tecnologia já é utilizada em mais de 1 milhão de animais conectados, gerando um aumento de 25% na receita de leite.


Entradas populares de este blog

Qué es BPO ?

Soft skills: habilidades blandas en las organizaciones

Internet de las Cosas: La tecnología inteligente mejora la productividad