Como mudar o mindset de “sickcare” para “healthcare”

Felipe Santos (*)

Hoje, as pessoas ficam doentes para ir ao médico, enquanto deveria ser realizado um trabalho preventivo para que elas não precisassem ir ao hospital. “Trabalhamos com o sickcarePrecisamos mudar a mentalidade dos pacientes e profissionais de saúde para alcançarmos o que reconhecemos, de fato, como healthcare”, afirmou Daniel Kraft, responsável pela área de Medicina da Singularity University e fundador da Exponential Medicine, durante sua palestra no SXSW, em Austin (EUA).

Segundo o professor, o conceito de Internet das Coisas (IoT) para o segmento médico já está ao alcance de vários cidadãos, por meio de sensores e dispositivos móveis, que podem gerar insights de saúde, em tempo real, sem a necessidade da presença de um médico. Daniel contou a história de um rapaz que, via Apple Watch, percebeu que seu batimento cardíaco estava alto e procurou o hospital antes que acontecesse um incidente. 

Atualmente, as instituições possuem muitos dados, porém a maioria não está centralizada em um único local para que os profissionais tenham acesso a informações macro. “É importante que exista uma convergência dos dados para que se tenha um ganho real na prevenção de doenças”, defendeu Kraft.

O fundador da Exponential Medicine acredita que chegará o dia em que teremos um Index, que vai detalhar o seu estado de saúde naquele exato momento. As soluções de Big Data agirão, através de algoritmos, para que você acesse visualmente dados sobre a sua saúde, de forma que haja preventivamente.

Nos dias de hoje, a transformação digital abre profundas oportunidades de mudanças. Há uma explosão de dados que permite avanços jamais imaginados na medicina. A atual expectativa de vida da maioria da população mundial mostra que a tecnologia é uma aliada importante na longevidade saudável. E o que está por vir com a inteligência artificial pode gerar ainda mais benefícios. 
Em sua apresentação no sábado, Michael Dell, fundador da Dell, disse que a resposta para um sistema de saúde mais eficiente é a equação entre humanos e máquinas

Segundo da IDC, o mercado mundial de solução para a Internet das Coisas deve movimentar US$ 7,1 trilhões até 2020. Na área de saúde, existem muitas tendências desta natureza que tendem a provocar um impacto significativo na saúde e no bem-estar dos pacientes. Com a evolução tecnológica, o número de dispositivos capazes de capturar e ajudar a monitorar sinais de saúde, doenças e características de cada um, individualmente, vem crescendo exponencialmente, o que dá aos médicos condições de realizar diagnósticos e tratamentos com mais agilidade

Com a combinação de soluções de AnalyticsBig DataInteligência ArtificialMachine Learning e velocidade de alta capacidade, a área de saúde alcança um novo patamar, que poderá reduzir as idas aos consultórios e hospitais de forma significativa. Quando chegar este momento, podemos dizer que realmente pulamos do estágio de sickcare para healthcare

(*) Felipe Santos é correspondente da Stefanini no SXSW, em Austin

Entradas populares de este blog

BairesDev se alza por cuarto año consecutivo como la compañía de desarrollo de software de mayor crecimiento de toda América Latina

Por cuarto año consecutivo BMC se posiciona como líder en el Cuadrante Mágico de Gartner en Gestión de Servicios de TI

#SMDayBA | El 31 de julio llega una nueva edición de Social Media Day Buenos Aires