09 abril 2018

Estilo de liderança | Como Tite nos ensina a sermos líderes melhores

Com um estilo de liderança próprio e inovador, Tite fez o futebol brasileiro renascer e se tornou um exemplo para todos nós que exercemos uma posição de liderança e aqueles que buscam trilhar esse caminho.

Braulio Lalau de Carvalho 
CEO da Orbitall, empresa do Grupo Stefanini

Assumir o comando da seleção brasileira de futebol após a Copa de 2014 foi como pegar uma empresa em crise, à beira da falência, e ter que reerguê-la, restaurando o seu prestígio, a autoestima dos colaboradores e a confiança junto a todos os stakeholders. Adenor Leonardo Bachi, o Tite, foi quem iniciou essa missão em Junho de 2016, dois anos após a população brasileira assistir estarrecida à fatídica e humilhante derrota para a Alemanha. 

Tite pegou uma seleção desacreditada, correndo o risco de não se classificar para a Copa do Mundo deste ano, algo inimaginável em se tratando de uma seleção com tamanha história e tradição como a nossa. Mas o técnico foi capaz de virar o jogo, alcançou resultados surpreendentes e classificou o Brasil, que ainda terminou líder nas eliminatórias sul-americanas. Tudo isso com praticamente o mesmo grupo de jogadores que estava sob o comando do técnico anterior. E aí surge a pergunta: o que o Tite fez de diferente?

Tite vem sendo apontado como um exemplo de liderança desde que assumiu a seleção, por ter promovido um salto de qualidade que fez com que o time voltasse a brilhar, e nós, brasileiros, voltássemos a acreditar. Sem dúvida, a atuação de Tite como líder teve um papel crucial nesse processo. Com sua experiência, um estilo próprio e inovador de liderança, o treinador conseguiu motivar e promover a união na equipe, e foi capaz, até agora com sucesso, de superar aqueles que são um dos maiores desafios de um líder: inspirar o grupo e fazer com que cada um dê o seu melhor.
 
Tite desenvolve o potencial de cada um investigando suas motivações 
Mais do que um técnico, Tite é um grande gestor de pessoas. Com o seu trabalho na seleção, ele resgatou a motivação da equipe, desenvolveu talentos e conseguiu extrair o melhor de cada jogador. Como ele faz isso? Tite conversa com os atletas para descobrir o que os motiva. Ao fazer esse exercício, o técnico cria uma aproximação com os jogadores e uma conexão mútua em torno de um mesmo objetivo, que é o melhor resultado.

Liderar não é impor. O chefe de ontem não tem mais espaço no ambiente corporativo atual. O que se tem hoje dentro das empresas são líderes comportamentais que precisam ouvir, conhecer e se aproximar de suas equipes para identificar formas de desenvolver o potencial de cada um e buscar o melhor caminho conjuntamente. Além de motivador, o novo líder inspira e ajuda o colaborador a encontrar o seu propósito no trabalho. 
 
“Senso de equipe. Nós precisamos ter senso de equipe”. 
A proximidade e confiança conquistadas por Tite foram certamente o que fez com que o clima mudasse na seleção, resultando em uma boa interação entre o técnico e os jogadores. Além disso, ao mesmo tempo em que impulsiona talentos individuais, o treinador ressalta a importância do coletivo e adota algumas táticas no sentido de fortalecer o senso de equipe. 

Uma delas é o rodízio dos capitães nas partidas, que reforça a mensagem de que todos são responsáveis pelo resultado dentro de campo. O técnico também trata a todos de forma igualitária, e promove a competição justa, leal e transparente entre os atletas, em que ganha a vaga quem realmente apresenta um melhor resultado.

Levando o aprendizado para o ambiente corporativo, cabe ao líder criar a harmonia e promover a união do time a fim de mitigar a competição existente entre os seus integrantes e fazer com que a qualidade prevaleça.  

Humildade para reconhecer que precisa melhorar 
Tite também é reconhecido por apresentar outra característica fundamental de um verdadeiro líder: a humildade. No final de 2013, no auge de sua carreira, após ter conquistado uma sequência de títulos com o Corinthians, Tite optou por fazer uma pausa para se reciclar. Tirou um período sabático e foi para a Europa estudar novas técnicas de futebol com alguns dos melhores profissionais da atualidade. 

Mesmo com as vitórias no currículo, o treinador não se acomodou. Ao contrário, teve humildade para enxergar suas falhas e aperfeiçoar o que não dominava. Hoje, muito do que ele aplica em seu trabalho, e que vem dando certo, é resultado do aprendizado do ano sabático.

Para um líder, ou qualquer profissional, achar que já se sabe tudo é um erro. Precisamos ser humildes para reconhecer nossos pontos fracos e buscar fortalecê-los. Afinal, há sempre alguma coisa que você pode aperfeiçoar, não é mesmo?  

Buscar a competência profissional e manter o alto nível sempre 
Aprendi por experiência própria que os líderes mais bem-sucedidos são aqueles que evangelizam e convencem em vez de impor. Eles dão o exemplo e exercem a sua autoridade com base no respeito e na admiração conquistados pela sua experiência e competência. Agora, como convencer uma equipe formada por atletas que atuam nos melhores clubes do mundo, acostumados a trabalhar com profissionais de alto nível? Mantendo, você também, o alto nível sempre.

Os jogadores sabem que Tite se preparou muito para estar ali e é o melhor para o cargo. Com sua trajetória e escolhas, o técnico os inspira a jogarem no seu melhor nível. Como pontuei acima, o domínio de habilidades comportamentais fará cada vez mais uma grande diferença para o novo líder. E nesse área, Tite é professor e fonte de inspiração para todos nós.