12 septiembre 2015

Stefanini é a 5ª empresa mais internacionalizada segundo o Ranking FDC das Multinacionais Brasileiras 2015

Stefanini é a 5ª empresa mais internacionalizada segundo o Ranking FDC das Multinacionais Brasileiras 2015

Empresa é apontada como a segunda multinacional com maior presença internacional em número de países e a segunda pelo índice de ativos
A Stefanini, uma das mais importantes provedoras globais de soluções de negócios baseadas em tecnologia, foi nomeada como empresa destaque em crescimento consistente no índice de internacionalização do Ranking FDC das Multinacionais Brasileiras 2015,  divulgado nessa quarta-feira pela Fundação Dom Cabral. O estudo anual mostra países e regiões onde as multinacionais brasileiras estão mais presentes, dados de desempenho das empresas, expectativas futuras e tendências quanto à expansão, estabilidade ou retração das operações.  No ranking geral, a Stefanini ocupa a 5ª colocação, atrás da Fitesa, Construtora Norberto Odebrecht, InterCement e Gerdau. Quando o critério de av aliação é o número de países onde a empresa está presente e o índice de ativos, a Stefanini aparece em 2º lugar.

Presente em 34 países, a Stefanini anunciou faturamento de R$ 2,35 bilhões em 2014 e espera manter o ritmo de crescimento ao longo de 2015. Só esse ano foram cinco movimentações importantes: fusão com a IHM Engenharia, joint-venture com a Tema Sistemas para criação da Stefanini Capital Market, lançamento da Inspiring, braço de telecomunicações da Stefanini; criação de escritório em Ontário, no Canadá, e aquisição de 40% da gaúcha Saque e Pague com o objetivo de oferecer serviços inovadores para o varejo.

“A internacionalização é um dos pilares mais importantes dentro da estratégia de crescimento do Grupo”, afirma Marco Stefanini, fundador e CEO global do Grupo Stefanini. “Temos muito orgulho de figurar entre os primeiros, o que demonstra que estamos no caminho certo ao investir em oportunidades em outros países”, comemora o executivo. 

Para calcular o grau de internacionalização das companhias, o estudo da Fundação Dom Cabral avaliou quatro indicadores empresarias que, agregados, compõem o grau de internacionalização das empresas brasileiras: o número de países onde as empresas possuem subsidiárias, a relação da receita bruta no exterior sobre o total; o valor dos ativos no exterior sobre o total; e o número de funcionários no exterior sobre o total. 

A cada ano, a pesquisa apresenta um enfoque particular e inédito. Na edição de 2015, em que se comemoram os 10 anos de realização do estudo pelo Núcleo de Estratégia e Negócios Internacionais da Fundação Dom Cabral, o Ranking apresenta os resultados de uma investigação sobre Adaptação Cultural, ou seja, a capacidade das multinacionais brasileiras se adaptarem à cultura dos países em que atuam. Segundo a Fundação Dom Cabral, as diferenças culturais, muitas vezes subestimadas, são o principal fator de fracasso nas operações internacionais.

Em função do atual momento brasileiro, a pesquisa avaliou, ainda, a influência do Cenário Político-Econômico do Brasil na atuação das multinacionais brasileiras.

Reforço na internacionalização
O reforço nas operações existentes, assim como as aquisições, continuam sendo parte importante do plano estratégico de crescimento da Stefanini no mercado global, com foco nos Estados Unidos e Ásia.
Para o CEO global da Stefanini, a Ásia é um pilar importante para o crescimento em médio e longo prazos. “Trata-se de uma região que vem se desenvolvendo rapidamente e os mercados mais maduros economicamente demandam um grande volume de serviços de tecnologia”, afirma o executivo. Na Malásia, a Stefanini complementa a oferta global com seis idiomas adicionais, ao lado dos demais delivery centers nos Estados Unidos, América Latina, Romênia, Polônia, Filipinas, China e Índia.
Com a presença em 34 países, a Stefanini reforça o seu posicionamento como parceiro global de soluções de negócios baseadas em tecnologia. O atendimento em 35 idiomas confere uma posição privilegiada e altamente competitiva para a oferta da Stefanini.
Facts & Figures - Internacionalização
  • Atuação em 34 países, 85 escritórios em 78 Cidades, 35 idiomas
  • Mais de 20 mil funcionários, 40% no exterior
  • 1a. filial foi inaugurada em 1996, na Argentina, projetando a Stefanini como a primeira multinacional brasileira da area de tecnologia
  • A Stefanini chegou aos Estados Unidos em 2001
  • Na Europa, a primeira filial foi na Espanha, em 2003
  • Chegou na Índia em 2006 e nas Filipinas em 2011
  • Em 2010 a Stefanini dá um importante passo rumo à internacionalização ao adquirir a Tech Team
  • Em 2015 foram cinco movimentações:
    • Fusão com a IHM Engenharia (Fevereiro)
    • Joint-venture com a Tema Sistemas para criação da Stefanini Capital Market (Março)
    • Lançamento da Inspiring, braço de telecomunicações da Stefanini (Junho)
    • Criação do escritório em Ontário, no Canadá (Junho)
    • Aquisição de 40% da Saque e Pague (Agosto)
Presença Global

Escritórios no Brasil
Alphaville (2), Aracaju, Belém, Belo Horizonte, Brasília, Campina Grande, Curitiba, Fortaleza, Jaguariúna, Juiz de Fora, Macaé, Poços de Caldas, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro (2), Salvador, São Paulo (6), São Leopoldo, Sorocaba e Vitória

América – Argentina, Brasil, Canadá, Chile, El Salvador, Estados Unidos da América, Colômbia, México, Panamá, Peru, Uruguai e Venezuela

Europa – 
Alemanha, Bélgica, Dinamarca, Espanha, França, Holanda, Hungria, Itália, Polônia, Portugal, Romênia, Suécia, Suíça e Reino Unido

Ásia
 – China, Índia, Malásia, Filipinas e Tailândia

Oceania
 – Austrália

África
 – Angola e África do Sul